Vantagens de aderir ao programa MCMV

Lançado pelo governo com objetivo de reduzir o déficit habitacional no País, o programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) foi instituído em maio de 2009. Desde a sua implantação, o programa já beneficio mais de 1,7 milhão de famílias e o governo investiu R$ 200 bilhões. Até o fim do ano é esperado a entrega de mais 510 mil unidades, totalizando 2,750 milhões de casas contratadas.

Para ter o benefício do MCMV, o futuro mutuário deve ter renda entre R$ 1.600 a R$ 5 mil e adquirir imóvel com o teto máximo de R$ 190 mil. Além disso, o consumidor deverá comprovar que a prestação do financiamento não ultrapasse 5% da renda familiar. Após cumprir os requisitos, o comprador tem o ganho de receber o subsídio entre R$ 18 mil a R$ 25 mil e pode financiar até 100% do valor do imóvel.

Outra vantagem de optar pelo Minha Casa Minha vida é que as taxas de juros são menores e vão de 5% a 7,16%, dependendo da capacidade de pagamento do proponente, da análise de risco de crédito e da definição do tempo das prestações (mínimo de 120 meses e máximo de 360 meses).

Isso sem falar que adquirente poderá usar o FGTS, dar uma entrada facilitada, ter parcelas decrescentes depois das chaves e a isenção ou desconto no custo de seguros e despesas cartoriais. Além disso, o futuro proprietário tem a facilidade de adquirir 14 tipos de móveis e eletrodomésticos para sua nova moradia, por meio do programa Minha Casa Melhor. Para utilizar o cartão no valor de R$ 5 mil, o mutuário deve está em dia com as parcelas. Depois da aquisição dos produtos, o pagamento será feito a partir do 5° mês e com prestações baixas.

Programa minha casa minha vida
Programa minha casa minha vida

O MCMV também oferece a cobertura de parte do pagamento das prestações nos casos de desemprego, redução de renda, morte e invalidez permanente e nas despesas de recuperação relativas a danos físicos ao imóvel. Para ter a cobertura do Fundo Garantidor de até 36 parcelas é preciso ter quitado seis prestações do financiamento. Durante o tempo do auxílio é necessário a quitação de no mínimo de 5% das parcelas, comprovar situação da diminuição de renda a cada seis meses e estar adimplente nos meses anteriores.

Não há como negar as vantagens de aderir ao Minha Casa Minha Vida. Mas antes da escolha é importante que o futuro proprietário do imóvel converse com sua família, levando sempre em conta as despesas fixas, como alimentação, educação, transportes, pagamento de prestações, entre outros gastos. Caso contrário, o sonho de comprar a casa própria pode se tornar um tormento e acabar de vez com uma esperança do então adquirente.

4.9 de 5
Deixe seu comentário
Não envie dados pessoais como CPF, RG ou renda anual.